Maternidade: experiência para toda a vida

O fascinante mundo dos 6 meses (Mirela com 6 meses e 12 dias)

Terça-feira, 15 de junho de 2010.

Bem que eu esperei os 6 meses chegarem! É um marco mesmo, como eu imaginava!

Se até agora eu me lamuriei achando difícil ser mãe, achando que nunca iria dar conta, etc, etc, etc, a partir de agora, acho que vamos ter vários relatos muito felizes…

Claro que cada nova fase do bebê vem acompanhada de dificuldades, mas sinto que a interação melhora a cada dia, visto que eu e Mirela estamos nos conhecendo cada vez mais. Não só eu começo a entendê-la melhor, das expressões faciais ao gemidinhos e murmúrios, mas ela também só de olhar já começa a me entender.

Sinto que estou mais segura, menos medrosa, mais forte e também mais descansada. Parece que só agora a ressaca do pós-parto começa a passar.

Mirela já não dorme com as galinhas e eu também  já consigo não dormir assim que ela dorme, pois sei que terei uma noite inteira tranquila. Antes, ela capotava por volta de 18:30h e eu ía junto, pois sabia que lá pela madrugada teria que acordar para dar de mamar. Agora, Mirela dorme por volta de 20h e eu até consigo fazer sala e só vou dormir às 22h. Estamos dormindo direto até as 6h da manhã, as vezes até 7:30, como tem acontecido nos fins de semana.

Minha menina começa a ganhar mais autonomia. O ato de sentar sozinha facilita muito  a nossa vida; as costas e punhos agradecem. Ganhou um cercadinho apropriado (que vamos e convenhamos, o berço portátil nanna não se presta bem para cercadinho!) e se senta para brincar e assistir tv, ou fica brincando de rolar. Um sossego!

Colocar a chupeta sozinha na boca também é mais do que uma gracinha, pois as vezes que eu precisava acordar de madrugada mesmo que ela não estivesse mais mamando, era para colocar a bendita chupeta quando esta caia e ela achava ruim. Agora, seja de noite ou de dia, ela mesma põe a chupeta quando bem quer e já não resmunga mais de madrugada pedindo ajuda.

Um belo dia eu e minha mãe observamos que ela olhava atentamente para a chupeta nas suas mãos; virava pra um lado, pro outro, olhava o bico, a argola, o paninho, como que estudando aquele objeto e pensando “como eu posso fazer para colocar sozinha minha pererê na boca?”. Então, dia desses ela começou a tirar e botar a chupeta sozinha, como que de brincadeira. Cheguei a pensar: “ai, isso vai ser bom quando ela fizer essa proeza a noite!”. Quando foi ontem, vi que o intento foi realizado. Coloquei-a para dormir e, duas horas depois, entrei no quarto e ela estava dormindo de braços para cima e sem chupeta; algum tempo depois entrei no quarto novamente e lá estava ela de chupeta, e não fui eu que coloquei! rsrsrs E hoje pela manhã, a mesma coisa. Fui ao banheiro e vi que ela estava sem chupeta, quando voltei ela estava brincando com a Centopéia Emília e com a chupeta na boca. Acho que é por isso que ela está dormindo direto, pois se desperta, ela mesmo se acalenta, coloca sua pererê e volta a dormir. Maravilha!

Ah, mais uma pra aliviar as costas e braços: não curte mais dormir sendo acalentada no braço. Já vai resmungando e querendo ser colocada no berço tão logo a gente começa a “dançar” com ela no colo. Então, só nos resta mesmo colocá-la no berço, ainda acordada e ela mesmo dorme sozinha, com uma mão balançando a argola da chupeta na boca e a outra na cabeleira de Centopéia Emília. E eu que morria de medo dela ficar até sei lá que idade só dormindo no braço…

Como eu tinha dito no post anterior, agora sim acho um período legal para sair e passear com ela. Aliás, não posso arrumar o bebê conforto dela ou colocar a sacola de passeio à vista que ela já se liga que vai rolar passeio…e dali por diante não faz mais nada esperando a hora de sair. Fui fazer isso um dia desses mais cedo do que devia e o resultado foi que ela simplesmente não tirou a soneca da tarde, só na expectativa de sair e se espichando para olhar a bolsa e o bebê conforto em cima da cama.

Já sabe bem o que quer. Tem preferências alimentares, de música, brinquedos e de programas de tv. E, obviamente, de gente… A propósito, detestou o Mucilon com todas as forças do seu coraçãozinho. Tentei 3 dias seguidos e no terceiro ela não quis nem saber e chorou de ficar sentida. Desisti e estamos só no leite mesmo, pois a ped dela nem ía passar o tal mingau; eu que insisti. Continua amando o mamão, mas todos os dias come outra fruta junto, sem fazer caretinha. Banana com mel karo é a segunda preferência, mas as vezes oferecemos pêra ou suco de laranja misturado ao mamão. E de sobremesa não pode faltar sapoti! Quero ver quando não encontrar mais a frutinha de época no supermercado! rsrsrsrsrs

Por falar em chorar, sabe que praticamente Mirela não chora (com raras situações como a do Mucilon)?! Como diria uma neurologista pediátrica bem ali: “ela é uma criança tranquila!”

Pois bem, é por essas e outras que eu estou amando os 6 meses de Mirela. Daqui pra frente, mais alegria, com as interações que ainda virão: o “papa, mama”, mais palavrinhas, caretinhas e muito carinho.

Obrigada, Senhor, por me mostrar que é possível superar as dificuldades da maternidade e que tudo é compensado pelo brilhos nos olhinhos que parecem me dizer: “mamãe, sou tão feliz!…”

2 comments

  1. Ai que gostoso ler um post desses. Que alegria com sua pequena.
    Minha menina está prestes a fazer 4 meses e tb sinto que cada vez estamos mais “amigas”. Que delícia!
    Bjokas.

  2. erika mota /

    que post cool! realmente as coisas vão melhorando e melhorando. “Mesmo q a nossa vida não seja mais a mesma”, pode ter certeza q ela será sempre mais interessante, com encantos que só a vida com crianças tem. Q legal vc está tão descansada, pq eu aqui rsrsrs mas tudo na vida passa e depois vou lembrar das noites mal dormidas com ela do lado, dizendo serem melhores do que estar acordada esperando ela chegar de algum lugar. Bjs

Leave a Reply