Maternidade: experiência para toda a vida

O espelho

Os pais são espelhos para os filhos, isto é fato.

Somos espelhos para sua formação como um todo: desde atitudes do dia a dia até sermos exemplo de sucesso pessoal e profissional no futuro para eles. Isso significa que se você fala palavrão, eles vão repetir (e você não terá moral para ir contra); se você gosta de ler, de estudar, vai servir de exemplos para seus filhos; se você adora ir ao shopping e volta para casa lotada de sacolas, provavelmente seus filhos vão achar normal fazer o mesmo, e assim, de coisas boas ou ruins,  seguem os exemplos…

A vontade de ter filhos sempre andou de mãos dadas com a vontade de que viesse uma menina, tanto para mim quanto para meu marido. Da parte dele, sei que essa vontade era por achar que saberia lidar melhor com menina do que com menino, já que não gosta de futebol, prefere artes,  música, sei lá, tem uma sensibilidade diferente, que combina mais com o temperamento feminino. De minha parte, também sempre achei que saberia me relacionar com menina, talvez pela óbvia semelhança entre os sexos. E aí, fomos presenteados com uma princesa chamada Mirela…

Partindo disso, fiz uma reflexão esses dias sobre o que está acontecendo já há alguns meses com ela: a descoberta da vaidade, do espelho, das pulseiras, da maquiagem, das bolsas, da escolha das roupas e sapatos, do passar perfume ela mesma, de pentear os cabelos, de usar óculos escuros, de querer calçar meus sapatos, de querer (re)furar a orelha que estava sem brinco há mais de 1 ano, de se achar linda  e querer que os outros concordem com ela…

Sendo mãe de menina, sempre me preocupei em poupá-la dos excessos da vaidade que hoje em dia é tão presente entre as menininhas das mais tenras idades (entre as mais novas, culpa das mães… #mãedemeninasurtamesmo). Imaginei que, sendo eu mesma uma pessoa muito básica, seria mais fácil. Não  tenho vícios por sapatos, bolsas, maquiagem, perfumes, não sou consumista, talvez seja uma das poucas mulheres do mundo que não pira na frente de uma liquidação; em geral, chegar em casa com compras para mim é tarefa de final de ano e só. Meu único vício, que meu marido ajuda a manter, são relógios… O resto, pra mim tanto faz se está na moda ou não. Prefiro conforto a moda, preço bom a preço alto, qualidade a quantidade. Assim, ao longo dos 2 anos e 3 meses de Mirela, conto as vezes que comprei roupas e sapatos para ela, só mesmo quando há necessidade.

Mas parece que não é só espelho-mãe que funciona para a filha. Deve haver algo inerente à criança, herança não sei de quem (de uma tia, talvez, ahahahahaha, né, Aline?), que a faz despertar para essas coisas femininas nesta idade. Falo isso porque a prima Maitê está entrando nesta fase também, justo nos seus 2 anos e poucos meses. Coincidência ou é realmente da fase? Nunca tinha parado para pensar nisso.

Pensando bem, minha preocupação com este tema começou quando percebi que a depressão estava me deixando “largada”, como descrevi num post anterior. Mesmo fora do meu estado normal, notei que eu, como espelho para Mirela, poderia estar refletindo algo negativo nela como mulher, pois passei a não me cuidar, não me importar com o que vestia, se as unhas estavam bem cuidadas ou não, se saia com ou sem batom (minha maquiagem básica é essa). E sendo minha filha uma criança muito observadora, tive medo de influenciá-la através dos meus “não atos”. Assim, resolvi, mais por causa dela do que de mim, voltar, mesmo que aos poucos, a me cuidar. Incrível como ela nota logo quando eu chego da manicure; os olhos brilham a cada cor de esmalte nova; ou quando ela me vê assim tipo mais arrumada para um evento diferente – ela vem e me abraça, como quem diz “mamãe, você está linda!”.

Não quero superestimular minha filha para o consumo, para a vaidade excessiva, para a valorização do exterior; mas também não quero criá-la como uma mulher das cavernas, sem um pingo de vaidade, sem amor próprio e sem preocupação com a aparência, afinal, ela ainda abre muitas portas no mundo e, infelizmente, não temos como fugir disso. Mas vou me esforçar para que ela enxergue em mim alguém que se cuida e se ama, o que não implica em usar saltos altos caros, bolsas novas a cada mês ou escova no cabelo toda semana. Quem se cuida e se gosta sorri, e isso é o que eu mais quero refletir em minha filha.

Mini perua? Espero que não... Mas essa foto foi de hoje de manhã, se arrumando para ir para a pediatra, que achou ela tão linda hoje que até fotografou! Óculos presente da amiga Bia e brilho presente da tia Flávia... A culpa não é minha, hein?!

No auge de sua crise alérgica essa semana (carinha abatida), mas quis vestir meu vestido como parte de sua brincadeira...

4 comments

  1. Tati… esqueci de falar no seu post sobre lazer, que independente de qualquer coisa, eu via em vocês (os pais da Mirela) a alegria no rosto e de serem pais dela. Isso sempre foi muito notório e me serviu muito de exemplo, como já falei para você muitas vezes.
    A criatividade, a disposição de brincar mesmo com todos os abalos que uma depressão pode causar, estes aspectos foram preservados.
    Ainda bem que você percebeu a tempo que já estava chegando a fase de dar a volta por cima e acredito que agora mais do que antes essa alegria será multiplicada na vida de vocês.

    Pelo que já li em blogs de mães de meninas, e existem muuuuitos bacanas como o: http://www.maededuas.com que eu gosto muito, o projetinho de vida, o inventando com a mamãe, o ivanacoisademae, o viciadosemcolo que ela tem 1 menina e 1 menino e outros tantos, sempre é tocado esse assunto da vaidade nas meninas. E cada família tem um jeito de lidar com isso.

    Acho sempre importante a reflexão sobre tudo mesmo como você está fazendo sempre e ter flexibilidade para as adaptações e mudanças, coisa constante na vida de mãe. No mais se a Mirela seguir a alegria, a disposição e criatividade o mundo terá mais uma pessoa para deixá-lo colorido e divertido.

    Bjos

  2. É já vejo Mariana tbem querendo me imitar, passar batom, perfume, e outras coisas q vê a gente fazendo. è precisamos ficar atentos somos mesmo espelho pra elas. bjos e boa noite!!

  3. ôoooo, que fotos lindas…esses óculos, é um charme!!!
    Mamãe me contou que ela foi pra Pediatra de óculos toda toda….LINDA!

    É isso aí Mi, se vc puxar sua tia aqui, vc será uma típica “mulherzinha”… adoro ser mulherzinha!!! Dia de salão, dia de surtar no shopis, dia de ser mais frágil – como nos dias “RED”", dia de ser MULHER sem responsabilidades de HOMENS; Mas sendo vaidosa na MEDIDA!

    Feliz por vc irmã , por tantas coisas boas acontecendo em VC !!!!!

  4. maquiá mamãe…essa eh frase mais dita dos ultimos 2 meses…na minha aula da saudade então q me vesti de Milindrosa(cabaré) a maitê ficou encantada….kkkkk

Leave a Reply